Documentário sobre Cesária Évora da realizadora portuguesa Ana Sofia Fonseca terá três exibições no festival DOC-Aviv 2022 (26.5- 5.6. 2022)

 

cesaria-evora-Carrossel_produções_foto_linda.jpg

Com imagens de arquivo, gravações inéditas e testemunhos, o filme 'Cesária Évora"' revela a vida e carreira artística da "Diva dos pés descalços" e uma realização da jornalista portuguesa Ana Sofia Fonseca. Documentário mostra a cantora cabo-verdiana, que só depois dos 50 anos "conquistou o mundo inteiro"

O documentário tem 3 exibições agendadas durante o festival DOC Aviv, para os próximos dias 28 e 31 de maio, e uma última exibição especial no Tel Aviv Museum of Art, no dia 5 junho. Com imagens de arquivo, gravações inéditas e testemunhos, “Cesária Évora” aborda a vida e carreira artística da “Diva dos pés descalços” e tem realização de Ana Sofia Fonseca.

Esta iniciativa é uma realização da Embaixada de Portugal em Telavive, em colaboração com o DOC AVIV, e contou com o apoio do Instituto Camões.

https://www.docaviv.co.il/2022-en/films/cesaria-evora/

O filme é o culminar de uma vontade de “há muito”, disse a realizadora à agência Lusa. “A voz de Cesária Évora não deixa ninguém indiferente, a sua história também não”, acrescentando que, “sem levantar bandeiras”, a cantora “lutou a vida inteira contra preconceitos”.

Além de um filme de música, “Cesária Évora” é também um “hino à liberdade” já que, através da história da cantora, o documentário cruza contextos políticos e sociais, abordando temas como o colonialismo e a igualdade, referiu.

Nos últimos cinco anos, Ana Sofia Fonseca, que também é jornalista ‘freelance’, mergulhou no universo da cantora e descobriu uma história completamente diferente da biografia a que as estrelas nos habituaram.

Cesária Évora- Apesar de ter começado a cantar aos 16 anos, em bares e hotéis em Cabo Verde, só depois do disco gravado em 1988 em França – “La diva aux pieds nuds” (“A diva dos pés descalços”, numa tradução livre, começou assim se apresentar em palco). Mulher, negra e pobre, Cesária Évora tinha mais de cinquenta anos quando “conquistou o mundo inteiro”, mas a fama “nunca a deslumbrou”.

Nascida a 27 de agosto de 1941, no Mindelo, onde morreu em 17 de dezembro de 2011, Cesária Évora foi a cantora mais reconhecida da história da música popular cabo-verdiana.

O FILME -Produzido pela Carrossel Produções em associação com a Até ao fim do mundo, o filme foi realizado em Portugal, França e Cabo Verde, e tem distribuição mundial pela Cinephil/WestEnd Films. A edição de imagem ficou a de Cláudia Rita Oliveira e fotografia de Vasco Viana, e contou com o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual.

 

Cesária_Évora_documentário_poster.jpg

  • Partilhe